quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Sapatilha de Ponta - 1

Vamos criar uma discussão entre bailarinas sobre "Tudo o que sempre quisemos saber sobre a sapatilha de Ponta"? Quero contar com a colaboração de todas vocês com colocações e perguntas que podem ser resposdidas por mim ou por qualquer uma de nós, ok?

Nesta primeira postagem quero falar um pouco sobre "a hora certa de usar a sapatilha de pontas".
Eu acredito que o professor deve avaliar caso a caso as alunas antes de encaminhá-las para compra de sua primeira ponta. Algumas regrinhas são importantes ferramentas que podemos usar nessa avaliação.
- idade mínima: 11 anos completos
- tempo mínimo de ballet: 5 anos de ballet para alunas crianças; 1 ano de ballet para alunas adultas.
- requisitos técnicos: a aluna deve ser capaz de subir e sustentar sua meia-ponta alta; deve conseguir sustentar seu en dehors em 1a e 5a posição.
- requisitos físicos: todos os físicos podem dançar e subir na ponta. Cabe ao professor orientar algumas pessoas sobre possíveis problemas, caso a caso e cabe a essas alunas (se adultas) ou à mãe delas (se crianças) decidir se deve ou não dançar nas pontas. São alguns desses casos: pessoas com joanete; pessoas com hérnia de disco, lordose ou outros problemas de coluna; pessoas com unha encravada persistente, pessoas com osteoporose ou idade avançada e por fim pessoas com sobrepeso.
Quero lembrar e reforçar que o ballet clássico e o uso de pontas se bem direcionado não causa esses problemas, e sim, se  a pessoa já os tem, podem ser agravados com o uso dessa técnica. Professora, pais e alunas devem conversar e avaliar cada caso!
Ballet clássico é uma arte e o uso de sapatilhas de pontas no ballet data de 1832*. Desde então muito foi desenvolvido no que se refere a tecnologia dos sapatos, a técnica do ballet, bem como o próprio corpo humano evoluiu e mudou.
Veja esta obra de Edgar Degas, datada de 1872 em Paris. Veja a diferença estética.

Edgar Degas
Dance Class at the Opéra

1872; detail; Musée d'Orsay, Paris









O que pode acontecer afinal se eu colocar as pontas antes do tempo?
Segundo Wanda Bambirra em seu livro "Dançar e Sonhar - a didática do ballet infantil", (...) "é anti-profissional exigir que uma criança com menos de 11 anos faça esforços como ficar na ponta dos pés. Esse equilíbrio só vai sendo adquirido com desenvolvimento, compatível ou resultante de um grau de mielinização aja adiantado. Mielinização é a deposição de mielina nas fibras nervosas, ou seja, quando um bebê nasce , ele tem reflexos nervosos, claro, mas não tem coordenação motora. Esta mielinização só se completa na puberdade, dos 10 aos 12 anos para meninas e de 14 aos 16 anos para meninos. (...)
O sustentar sobre as pontas não é somente uma evolução técnica, mas também uma adaptação do corpo a uma nova forma de equilíbrio, com a fortificação de ossos, tendões, ligamentos e músculos.

Para tanto, alguns exercícios são indicados para fortificar e preparar o corpo para o uso das pontas." Wanda Bambirra considera ainda que se uma pessoa iniciar na ponta sem antes ter sua qualidade técnica e idade adequada poderá no futuro sofrer lesões e deformações que ao contrário de torná-las bailarinas, acabam finalmente impedindo-as de dançar quando orientadas por maus profissionais, é claro.
Chegou a hora! Estou nas pontas! Você estudou, trabalhou duro, esperou e finalmente sua professora deixou você colocar a ponta. Parabéns!
Agora surgem muitas dúvidas, entre elas, como costurar a fita e o elástico, como amarrar a fita, como escolher a ponteira, a marca e o modelo da sapatilha ideal. Na próxima postagem quer falar sobre essas dúvidas todas.
Por enquanto quero focar numa dúvida técnica: como melhorar minha performance na Ponta?
Eu aconselho minhas alunas a fazerem uma série de exercícios em casa, descalças, todos os dias, ou ao menos 3 vezes por semana. São exercícios complementares às aulas de ballet que você já faz.
Veja a lista nesta outra postagem: http://oblogdoballet.blogspot.com/2009/10/10-primeiros-exercicios-para-fazer-em.html


* Taglioni: Rainha das Pontas: Marie Tagloni é a culpada pela primeira dança nas pontas. Mas ninguém sabe ao certo se foi ela mesma que em 1832 dançou pela primeira vez todo o “La Sylphide” nas pontas. É quase certo que outras bailarinas já tivesem dançado antes nas pontas, pois há referências em jornais antigos de bailarinas com “dedos fantásticos”. Pensam até que Maria Camargo a precedeu com um século de diferença. Mas o mérito todo foi mesmo para Taglioni, que desenvolveu a técnica e revolucionou o ballet. Ela criou a dança dos dedos, e transformou algo que antes parecia somente atração de circo em uma expressão artística e dramática através das técnicas dos pés. Sua graça, beleza, elevação e estilo ganharam público e favorecem uma brilhante carreira. Na Rússia, os fãs de Taglioni a amavam tanto que cozinharam suas sapatilhas e as comeram com salsa!!! Fonte: http://www.dicasdedanca.com.br/historia-do-ballet-referencias-importantes-para-a-danca-classica.html
Veja um pouco mais sobre a história da dança na minha postagem de 19 de fevereiro de 2010: http://oblogdoballet.blogspot.com/search?updated-max=2010-03-14T15%3A37%3A00-03%3A00&max-results=7

terça-feira, 3 de agosto de 2010

livros de ballet para crianças

Selecionei alguns livros infantis que transitam no mundo do ballet para compartilhar com vocês.
Esses livros servem para professoras de baby class enriquecerem alguma aula, mostrando para suas alunas, lendo, povoando a imaginação delas antes de uma atividade de improvisação, por exemplo. Serve para a mãe bailarina ler para suas pequenas, e, claro para todas as bailarininhas lerem, relerem, usarem, compartilharem...

A elegância, a perfeição, as palavras em francês envolvem o balé em uma aura de magia. O livro "Eu Adoro Balé", da Publifolha, torna esse mundo de fascínio mais próximo das crianças. Com o subtítulo "Aprenda a dançar com a Central Scholl of Ballet, de Londres" --uma das mais conceituadas do mundo--, a edição em capa dura encanta pelo texto elegante e pela qualidade das fotos.

Livro introduz balé clássico para crianças
Ideal para crianças que estão prestes a ingressar ou acabaram de iniciar suas aulas de dança, "Eu Adoro Balé" é dividido em capítulos que fazem os pequenos entender, com facilidade, os passos básicos e as lições fundamentais para se dedicar a esta arte tão difícil, mas alegre, que é a dança clássica.
No capítulo "Preparar-se", por exemplo, os autores explicam o que é o colã --maleável para não atrapalhar os passos da bailarina-- e as sapatilhas, os calçados especiais usados nas aulas e apresentações. Na seqüência, fala-se de como é uma sala de aula (com chão de madeira e barras nas paredes), como e porquê se faz aquecimento e alongamento e quais são os passos básicos a se aprender.
Além do dia-a-dia, "Eu adoro Balé" menciona os benefícios da dança para o corpo e para o desenvolvimento da expressão pessoal. No fim, para alimentar ainda mais os sonhos das crianças, há capítulos que falam da sapatilha de ponta, usada apenas por bailarinas mais velhas, e do Pas de deux, quando um casal dança junto. Como uma primeira aula real de balé, o livro é simples, didático, bem ilustrada e, acima de tudo, lúdico e divertido.
"Eu Adoro Balé"
Autor: Naia Bray-Moffatt
Editora: Publifolha
Páginas: 48
Quanto: R$ 32,00
Onde comprar: nas principais livrarias, pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Publifolha

Barbie Music Player Livro de Histórias

+ CD Player com 4 CDs
Editora : Ciranda Cultura
Páginas : 256
Encadernação : Capa dura
Preço: R$68,00
Este livro de histórias com o CD Player tem como estrela a atriz favorita de todos - Barbie! O livro reconta quatro filmes especiais:

CD 1 - Barbie em as 12 Princesas Bailarinas com 6 canções
CD 2 - O Lago dos Cisnes com 6 canções
CD 3 - O Quebra-Nozes com 6 canções
CD 4 - A Princesa Plebeia com 6 canções
COM UMA ESTÓRINHA BEM LEGAL , LÊEM E OUVEM AS MUSIQUINHAS QUE AS PRÓPRIAS CRIANÇAS ENCAIXAM NO CD PLAYER !!
UM LIVRO MUITO DIVERTIDO E QUE AS CRIANÇAS ADORAM !!!
VALE A PENA !!!!

Os CDs são para tocar exlusivamente no
CD Player que acompanha o kit
As Doze Princesas Bailarinas - O Lago dos Cisnes - O Quebra-Nozes - A Princesa e a Plebeia
Também vem com um CD Player e quatro CDs de músicas, com um total de 24 canções diferentes. Sinais no livro indicam quando tocar cada música, ao passo que as histórias forem lidas. Compre nas melhores livrarias.

Você é a convidada especial da apresentação de balé da Moranguinho! Use os adesivos que acompanham o livro para decorar essa festa e deixar tudo ainda mais bonito. Divirta-se!

Informações Técnicas:
ISBN: 8576760711
Ano: 2007
Edição: 2
Número de páginas: 16
Acabamento: Brochura

Formato: Grande
Preço: R$25,00
À venda nas principais livrarias ou na americanas.com 




Contando Histórias de Ballet:
Um livro, contendo 10 das mais importantes histórias dos grandes balés de repertório e acompanhado por dois Cds (vol. 01 e vol. 02) com a narração destas histórias de forma lúdica. As trilhas sonoras dos respectivos balés são mixadas à narração, trazendo assim, ao ouvinte, o cenário emocional que está sendo descrito.

As histórias são: Copélia, A Bela Adormecida, Giselle, O Quebra-Nozes, La Fille Mal Gardée, O Lago dos Cisnes, O Corsário, Dom Quixote, A Sílfide e O Pássaro de Fogo.
Preço: R$50,00
Ouça um trecho e Compre em meumundocrianca.com.br