segunda-feira, 1 de abril de 2013

balé butantã
Uma vez bailarina, sempre bailarina! Quem já calçou as sapatilhas uma vez sabe bem do que estou falando. Você fez balé na infância, talvez por anos, talvez você tenha mudado para o jazz. Em algum momento não deu mais para conciliar as coisas: faculdade, mudanças, casamento, gravidez...
Quem já dançou nessa vida sabe bem o prazer que o movimento e a expressividade do ballet causam na gente. Depois de dançar, as atividades físicas como ginástica ou musculação parecem tão mecânicas e sem sentido não é?
Antigamente havia um preconceito a respeito do ballet. Dizia-se que tem que começar de pequenininha e que se parar, nunca mais volta. Hoje a gente sabe que não é assim. Talvez essa afirmação sirva para quem quer estabelecer uma carreira profissional como bailarina. Mas a verdade mesmo é que para dançar e ser feliz não há idade!
Hoje tem bastante gente de 20, 30, 40 começando ou voltando. Colocando pontas e tutus. Vivendo momentos inesquecíveis em meio a coques, makes elaboradas, pas-de-deux e música clássica!
Minha opinião pessoal e profissional é que toda mulher deveria dar uma chance para si mesma, para realizar seu sonho de se transformar em bailarina ou princesa, de estar no palco, de sentir os aplausos do público. 
Dança é arte e expressão; disciplina do corpo e da mente!

Professora Renata Sanches -BALLET. Rua Martinho Claro, 510, Butantã, São Paulo - SP. contato@professorarenata.com.br. (11) 9 7251-4343 (vivo)

2 comentários:

  1. Sabe d uma coisa to amando esse blog pela seriedade e carinho q vc lida c todos esse post q acabei d ler me deixou emocionada..Pois comecei tarde no ballet (tarde nao c a idade mai avançada) pois nunca é tarde para dançar tenho 33 anos mas estou na melhor fase da minha vida por causa do ballet. E to amando seguir teu blog tem me edificado muito Deus te abençoe sempre Erika Pertison

    ResponderExcluir